WhatsApp
Pesquisar
Close this search box.

40 termos de TI que todo profissional da área precisa saber

Profissional de TI analisando código e termos de TI em múltiplos monitores de computador.

Os principais termos de TI abrangem conceitos como Rack, Query, DHTML, Algoritmo, Analytics, Dark Data, IOT e muito mais, moldando o mundo digital e impulsionando o avanço tecnológico. Veja mais sobre o glossário de TI!

Todo mundo que trabalha com a internet e a computação precisa conhecer vários Termos de TI. No começo, eles podem parecer incompreensíveis, ainda mais se você for um novato na área. Depois, quando se conhece o significado deles, todo trabalho fica mais fácil.

É claro que este não será um glossário de TI definitivo, já que novos termos e tendências aparecem com o passar do tempo. Porém, já é um bom ponto de partida para estar inteirado sobre alguns dos principais assuntos.

Abaixo, listamos os 40 termos mais usados na linguagem dos profissionais das áreas correlatas a ciência da computação. Confira cada uma delas, que estão em ordem alfabética.

Importância de entender os principais termos de TI como profissional da área

Imagine que você está em seu trabalho e alguém lhe pede para confirmar se o rack está com algum problema, pois os dispositivos de IoT estão fora do ar, o DB está com falha nos Analytics e caiu a comunicação com o Data Center.

Se você não é um profissional de TI, não tem tanto problema em não saber do que se trata essa mensagem que parece tão complexa. Se sua área de atuação tem alguma intersecção com TI, pode ser que você tenha que saber, mas se trabalha com isso, torna-se inaceitável não entender os termos.

Quando se está nos primeiros passos da carreira, pode ser que você ainda não conheça tudo sobre isso, mas ter conhecimentos gerais sobre o dicionário de TI ajuda a entender até mesmo aquilo que você nunca ouviu antes.

Basta pensar no paralelo que existe em relação ao aprendizado de um novo idioma ou até mesmo do português. Se você tiver conhecimentos gerais, pode inferir do que se trata determinado termo. Algo similar acontece com termos de TI.

Portanto, se você não quer ficar de fora da conversa e nem deixar passar alguma coisa na entrega de suas demandas enquanto profissional de TI, conhecer o glossário é fundamental.

Leia também: 10 termos do mercado de gestão que todos deveriam saber

Glossário de TI: 40 termos de TI indispensáveis para quem é da área

Ter um glossário rico em termos é de um grande valor para suas carreiras. Dito isso, conheça o glossário de termos técnicos de TI:

1 – Algoritmo

É uma sequência lógica, finita e com instruções que formam uma fórmula matemática ou estatística para realizar as análises de dados.

Pode até não parecer importante, mas sabia que sempre usamos os algoritmos no nosso dia a dia? Todas as tarefas executadas no computador são baseadas em algoritmos.

2 – Analytics

Analytics é a forma de capturar as informações, processá-las e analisá-las para que se tornem insights. Como o nome diz, na prática, é uma análise geral de algum processo digital.

3 – Apache Tomcat

Um servidor web e contêiner de servlets amplamente utilizado para a hospedagem de aplicativos Java. Servlets são classes Java que rodam em um servidor web e estendem suas funcionalidades, permitindo a criação de páginas dinâmicas, interação com bancos de dados e muito mais.

4 – API (Application Programming Interface, ou interface de programação de aplicativos)

Uma API (Application Programming Interface, ou interface de programação de aplicativos) funciona como um mensageiro que permite que diferentes softwares se comuniquem entre si, mesmo que tenham sido criados por empresas diferentes ou utilizam linguagens de programação distintas. 

Ela define um conjunto de regras e protocolos que padronizam a forma como os softwares podem trocar dados, realizar solicitações e responder a comandos.

5 – ASCII

A sigla vem do “American Standard Code for Information Interchange” e. no português, é “Código Padrão Americano para o Intercâmbio de Informação”.

Na prática, o ASCII representa o código binário usado em toda comunicação entre computadores. É uma espécie de idioma das máquinas, onde os valores decimais correspondem a diferentes caracteres, sinais, gráficos ou qualquer informação.

6 – AWS (Amazon Web Services)

Plataforma de serviços em nuvem de propriedade da Amazon, que oferece armazenamento de banco de dados e distribuição de conteúdo.

7 – B2B e B2C

São siglas que representam Business to Business (negócios para negócios) e Business to Consumer (negócios para consumidores).

Os termos servem para classificar operações entre as empresas e os clientes. Para tanto, é usado um software de banco de dados para registrar as pessoas, que podem ter atendimento automatizado.

No mundo dos negócios online, talvez esse seja o Termo de TI mais usado.

8 – Backbone

Rede que interliga uma série de servidores da internet, fisicamente distantes uns dos outros, a um diferente servidor principal.

9 – BDE (Borland Database Engine)

O Borland Database Engine (BDE) é um mecanismo de acesso a dados que permite a aplicativos se conectarem e manipularem dados em diversos tipos de bancos de dados. Ele foi desenvolvido pela Borland e era comumente utilizado em conjunto com linguagens de programação como Delphi e C++Builder.

10 – Big Data

É um termo muito usado na área e significa um conjunto de dados ou complexos, onde os aplicativos de processamento de dados tradicionais ainda não conseguem lidar.

A ideia de Big Data é a de captura, análise, pesquisa, compartilhamento, armazenamento, transferência, visualização e informações dos dados.

11 – Botnet

Uma botnet, contração de “robot network” (rede de robôs), é uma rede de dispositivos de computação infectados por malware e controlados remotamente por um indivíduo ou grupo mal-intencionado, conhecido como cibercriminoso ou líder de bot.

12 – BYOD (Bring Your Own Device)

BYOD é uma política que permite que funcionários usem seus próprios dispositivos no ambiente de trabalho, como computadores e smartphones.

13 – Cloud Computing

Na tradução, computação em nuvem. Essa expressão tem a ver com a utilização da memória e da capacidade de armazenamento e cálculo de computadores e servidores compartilhados que estão interligados na internet.

14 – COBOL

Significa “Common Business Oriented Language” e no português “Linguagem Comum Orientada para Negócios”.

Na prática, quer dizer algo como uma tradicional linguagem de programação usada em bancos de dados comerciais.

15 – Cookies

São arquivos de tamanhos pequenos, mas que ficam armazenados no computador. A função deles é guardar dados específicos de um cliente ou website, para serem acessados futuramente pelo servidor web de forma rápida.

16 – Dados estruturados

Os dados estruturados têm uma organização lógica, mas com uma pequena possibilidade de extração de informações para o Big Data.

Daí existem os Dados não Estruturados, que são desorganizados, como as mensagens em redes sociais e os e-mails. Logo, nesse caso, há grandes possibilidades para a extração de insights comerciais.

17 – Dark Data

São dados desconhecidos que podem ficar perdidos ou armazenados, sem a possibilidade de serem acessados ou analisados, caso o sistema não esteja configurado para isso.

18 – Dashboards

Painéis visuais que apresentam informações relevantes de forma clara e concisa, como resultados financeiros ou dados de servidores e confiabilidade tecnológica, por exemplo.

Leia também: Como contratar uma empresa de gestão financeira e controlar os gastos da sua empresa

19 – Data Center

O Data Center, também conhecido como Centro de Processamento de Dados, é uma infraestrutura física que centraliza servidores, equipamentos de armazenamento e sistemas de rede para gerenciar e processar grandes volumes de dados.

20 – DB (ou Data Base)

DB é a Data Base, ou comumente chamado de Banco de Dados. A sigla dá origem ao DBA (Data Base Administrator, ou Administrador de Banco de Dados), que é o profissional responsável pela organização e gerenciamento do banco de dados de uma empresa.

Esse realmente é um Termo de TI muito importante e o passo principal para você entrar na área de tecnologia e da ciência da computação.

21 – DHTML

É o Dynamic HTML, ou seja, a união das linguagens HTML, JavaScript e CSS que ficam ligadas em um único Modelo de Objeto de Documentos (DOM). A partir dele é possível alterar propriedades das páginas da web sem que para isso precise acessar o servidor.

O HTML5, por exemplo, é um termo que caiu em desuso devido ao surgimento do DHTML.

22 – Downtime

O downtime, também conhecido como tempo de inatividade, é um período que impacta diretamente a produtividade e lucratividade de empresas e organizações. Ele se caracteriza pela indisponibilidade de um sistema ou serviço, seja por falhas técnicas, manutenções programadas ou até mesmo interrupções na rede.

23 – Elasticsearch

O Elasticsearch, mais do que uma ferramenta de busca e análise de dados em tempo real, é um poderoso aliado para empresas e organizações que desejam extrair o máximo valor de seus dados. 

Sua arquitetura distribuída e escalável permite lidar com grandes volumes de dados de forma eficiente, possibilitando buscas rápidas e precisas, análises complexas e visualizações interativas.

Leia também: Blockchain: o que é, como funciona e suas aplicações

24 – Gateway

Um gateway funciona como um porta-voz entre redes, permitindo que dispositivos em diferentes ambientes se comuniquem, mesmo usando linguagens distintas. Imagine um tradutor universal para redes, que converte dados de um protocolo para outro, abrindo portas para a interoperabilidade.

25 – Hotspot

Um hotspot é uma localização física onde as pessoas podem acessar a internet, geralmente através de Wi-Fi, mas também podendo ser pela internet cabeada. Estes locais são frequentemente encontrados em espaços públicos como aeroportos, cafés, bibliotecas, hotéis e shoppings, oferecendo acesso à internet para laptops, smartphones e outros dispositivos compatíveis. 

A conexão Wi-Fi em hotspots pode ser gratuita ou paga, dependendo do local e da empresa que oferece o serviço.

26 – HTTPS

No inglês é Hypertext Transfer Protocol Secure e no português, Protocolo Seguro de Transferência de Hipertexto.

O HTTPS usa o protocolo SSL/TLS (que é de segurança e protege as telecomunicações da internet para serviços de transferência de dados).

Isso é alcançado através da criptografia dos dados transmitidos e da verificação da autenticidade do servidor e do cliente por meio de certificados digitais.

Leia também: Como a sua empresa pode ser eficiente na proteção de dados?

27 – Hub

No contexto de redes, é um dispositivo que conecta múltiplos computadores e dispositivos juntos. Também pode ser chamado de repetidor ou concentrador em alguns casos.

28 – IoT

A Internet das Coisas (IoT), também conhecida em português como Internet dos Objetos, é um conceito que se refere à interconexão digital de objetos cotidianos à internet. Através da integração de sensores, softwares e outras tecnologias, esses objetos, desde eletrodomésticos e carros até roupas e brinquedos, ganham a capacidade de se conectar à internet, trocar dados e interagir entre si.

29 – I&O (Infrastructure and Operations)

Sigla para infraestrutura e operações. Denomina as equipes que são responsáveis por gerenciar os hardwares físicos, redes de dados e o armazenamento que suporta os serviços de TI.

30 – Java

Linguagem de programação multiplataforma, orientada por objetos e centrada na rede que pode ser usada como uma plataforma nela mesma, amplamente utilizada para o desenvolvimento de aplicativos.

31 – JBoss

Também conhecido como WildFly, é um servidor de aplicativos baseado em Java, open-source (ou seja, de código aberto) e ambiente de runtime (fase que executa e mantém um programa rodando) que traz uma plataforma para hospedar e executar aplicações em Java, especialmente a nível enterprise (de grandes empresas).

32 – P2P

Peer-to-peer ou ponto a ponto é uma arquitetura de redes de computadores, sendo que cada um dos pontos da rede funciona tanto como cliente quanto como servidor. Isso permite o compartilhamento de serviços e dados sem a necessidade de um servidor central.

33 – Python

Linguagem de programação de alto nível, com vários propósitos, que pode ser usada para aprendizado de máquinas, inteligência artificial, análise de dados, desenvolvimento de jogos e aplicativos, entre outros.

Leia também: Como a Inteligência Artificial está revolucionando a gestão financeira?

34 – Query

É o processo pelo qual os dados são tirados de um DB e apresentados de forma mais compreensível. Na tradução, pode ser chamado de “inquirir” ou “requisitar”.

35 – Rack

Rack é um local físico onde são montados todos os conjuntos de hardware relacionados. Geralmente, eles ficam dentro de um Data Center, como visto acima.

36 – Switch

Um switch é um dispositivo de rede que funciona como um centro de comutação, encaminhando dados entre dois ou mais dispositivos conectados à sua rede. Ele atua como um roteador de camada 2, utilizando endereços MAC para identificar e direcionar o tráfego de forma eficiente. 

Switches são comumente utilizados em residências, escritórios e empresas para conectar computadores, impressoras, consoles de jogos e outros dispositivos à internet ou a uma rede local.

37 – Virtualização

É uma forma de executar os diversos programas, serviços e sistemas operacionais em um único dispositivo físico. Logo, um desktop pode ser acessado de qualquer outra máquina – desde que para isso exista uma prévia autorização e o acesso à internet.

38 – VRML (Virtual Reality Modeling Language)

O VRML (Virtual Reality Modeling Language, pronunciado “vermal” ou por suas iniciais) é uma linguagem de modelagem 3D interativa projetada para a web. Ele permite a criação de mundos virtuais que podem ser visualizados e explorados usando navegadores da web e plugins específicos.

39 – Wireless

Wireless, termo em inglês para “sem fio”, refere-se à tecnologia de comunicação que permite a transmissão de dados sem a necessidade de cabos físicos. Essa tecnologia utiliza ondas eletromagnéticas, como rádio ou infravermelho, para propagar o sinal entre dispositivos.

40 – Zip

Zip é um formato de compactação de arquivos que permite reduzir o tamanho de arquivos sem perder dados. Ele funciona comprimindo os dados usando algoritmos matemáticos, o que pode reduzir significativamente o tamanho do arquivo original.

Como se destacar na área de TI?

O primeiro conselho é estudar muito. Isso não necessariamente significa estar matriculado em uma instituição de ensino superior, mas sim ficar de olho em tendências e novidades que surgem e estudar sobre elas, seja na internet ou em trocas com outras pessoas, por exemplo.

Além disso, é válido que o profissional de TI busque ser polivalente, entendendo também um pouco das demais áreas com as quais pode ter interface, como Marketing, Produtos e Design, por exemplo. Não é necessário ser um especialista, mas ter uma noção de como as coisas funcionam ajuda muito.

Por último, mas não menos importante, vale estar sempre aberto a aprender com outras pessoas e também a compartilhar o que se sabe. Essas trocas constantes tendem a resultar em um aprendizado ainda maior.

Conte com a SUMUS para fazer a gestão de TI e Telecom da sua empresa

É claro que foram citados e explicados vários termos de TI no artigo. Porém, o mais importante é entender que todos são valiosos para a prática de quem trabalha na área.

Atualmente, a ciência da computação é uma área que pode contribuir muito com a eficiência de custos e a qualidade do serviço, o que a torna indispensável para o crescimento das empresas.

Cansado de lidar com a complexa gestão de seus ativos de TI? A Sumus apresenta a solução ideal: Gestão de Ativos com ITAM (IT Asset Management). Através de um processo abrangente e estratégico, nosso serviço garante que seus recursos tecnológicos sejam otimizados, protegidos e utilizados de forma eficiente, maximizando o retorno sobre o investimento em TI.

Precisa gerenciar um alto volume de dados? Aproveite o Trial e Demo gratuito da nossa plataforma e impulsione sua empresa!

Autor:

NEWSLETTER

[contact-form-7 id=”5646″ title=”Form News Sidebar” html_name=”/news-blog-form/”]

Entenda como a Sumus pode gerir os custos e reduzir as despesas seu negócio: