Confira as principais tendências de IoT e fique por dentro!

Saiba o que essa inovação da internet promete para um futuro próximo e como isso pode influenciar na sua vida!

Antigamente, quando se pensava em internet, vinha à mente um grande computador conectado à rede, imagem que passou, posteriormente, para pequenos dispositivos sem fio. Com a IoT internet das coisas, a evolução será ainda maior.
Como o próprio nome indica, esse é um conceito que trata da conexão de uma série de outros aparelhos, itens e objetos à internet, os quais aparentemente não possuem nenhuma relação com a rede de dados, mas que daqui para frente o terão.
Entenda melhor o que é essa tecnologia, o que ela pode fazer e quais são as maiores tendências reservadas para um futuro bem próximo!

O que é IoT internet das coisas?

A sigla IoT significa “Internet of Things”, e o significado é literal: representa a conexão de várias “coisas” à internet, de modo que possam ganhar uma série de funcionalidades e recursos diferentes.
Em termos técnicos, a internet das coisas é um sistema de dispositivos computacionais, equipamentos mecânicos e digitais, objetos, pessoas e até animais interrelacionados, com um identificador único (UID) e a habilidade de transmitir dados em uma rede sem precisar de interação com humanos ou computadores.
O conceito da IoT internet das coisas já era debatido em 1982, com uma máquina de Coca-Cola modificada para poder ser conectada à internet na Universidade Carnegie Mellon, na Pensilvânia, EUA.
Com a modificação, a máquina era capaz de informar seu estoque de latas e quando as bebidas que foram colocadas por último já estavam geladas, o que foi uma grande inovação para a época.
Em 1992, o relatório “The Computer of the 21st Century”, de Mark Weiser, assim como os encontros acadêmicos UbiComp e PerCom, ajudaram a construir uma visão contemporânea da IoT.
O termo internet of things foi cunhado em 1999 por Kevin Ashton, quando se referia à importância da identificação por radiofrequência (RFID) para a internet das coisas, onde os computadores poderiam gerenciar absolutamente tudo.
Então, de lá para cá, esse conceito se desenvolveu cada vez mais, até chegar ao ponto que vemos hoje, onde vários objetos e equipamentos podem estar conectados à internet, de carros a cervejeiras.
Considera-se que o começo moderno da IoT internet of things foi em 2009, de acordo com uma opinião da Cisco, já que nessa época, o número de “coisas ou objetos” conectados à internet era maior do que o das pessoas conectadas.
iot internet das coisas

Quais são as maiores tendências da IoT?

Do funcionamento em indústrias ao desenvolvimento de ainda mais segurança e à conexão de um número cada vez maior de dispositivos, espera-se que a área cresça drasticamente nos próximos anos.
Internet das coisas e 5G já são duas realidades no mundo, embora ainda estejam longe de atingir seu potencial completo, o que deve alçá-las a lugares ainda mais importantes em nosso cotidiano.
A empresa de consultoria Gartner estimou, em 2017, que naquele ano haveria 8,4 bilhões de “coisas” conectadas à internet, 31% a mais do que em 2016, quando o número estava em, aproximadamente, 6,41 bilhões.
Além disso, a estimativa é de que, em 2020, o número de coisas conectadas seja de 20,4 bilhões, ou seja, um crescimento de 242% em apenas 4 anos.
Algumas das inovações que prometem catapultar a IoT internet das coisas no mercado são as seguintes:

Entrada mais intensa nas indústrias de saúde e produção

Cloud computing e a 4ª Revolução Industrial são dois assuntos que andam de mãos dadas com a internet das coisas, e a estimativa é de que ela esteja mais presente em indústrias das áreas de saúde e produção.
Sensores, etiquetas RFID e beacons são alguns dos itens que abriram o mercado industrial para a IoT internet das coisas. De acordo com analistas de mercado, o número de dispositivos conectados nas indústrias deve dobrar entre 2017 e 2020.
A implantação dessa tecnologia nas indústrias pode trazer maior produtividade, melhor desempenho, redução de downtime dos equipamentos e até mesmo prevenir atrasos no processo.
A indústria da saúde também deve sentir um forte impacto. Estima-se que até o ano de 2019, 87% das empresas da área da saúde terão adotado a IoT, como em cuidados pessoais mais específicos, gestão de informações dos pacientes e até pílulas inteligentes.

Maior abrangência de dispositivos conectados

O fato de a internet das coisas ser uma das tendências de tecnologia para a sua empresa se dá devido ao maior número de dispositivos que estarão conectados, de carros até gadgets para casas inteligentes.
Inclusive, os carros conectados devem aparecer com força no mercado, com atividades que vão ainda além dos veículos inteligentes que dirigem sozinhos.
Será possível, por exemplo, baixar um app no celular e ver uma série de informações sobre o automóvel, como nível de pressão dos pneus, nível de óleo, consumo de combustível e até mesmo possíveis problemas em seus componentes internos, o que deve poupar muito trabalho e dinheiro.
A IoT internet das coisas é muito abrangente e praticamente tudo o que existe pode ser conectado a ela, o que deve revolucionar a forma com a qual nos relacionamos com esses objetos.

Conexões mais seguras

Devido ao maior número de dispositivos conectados, teoricamente, os riscos de ser hackeado e ter problemas de segurança aumentam, mas o mercado já está se movimentando para evitar que isso aconteça.
O investimento em segurança IoT está em crescimento: desenvolvedores de hardware já estão construindo uma infraestrutura especial para os dispositivos que ficam no final da conexão, ou seja, aqueles que estarão disponíveis em nossa casa, no trabalho ou em outros lugares.
Será possível até mesmo ver empresas começarem a oferecer soluções especiais para a segurança da IoT internet das coisas, de modo que não haja invasões ou desvios de informações. Afinal de contas, essa tecnologia precisa andar junto com a segurança.
iot internet das coisas
 

Outras tendências

Alguns pontos que também podem se desenvolver com força em relação à IoT são os seguintes:

  • Áreas totalmente conectadas nas cidades, capazes de coletar e disponibilizar dados sobre trânsito, uso compartilhado de veículos e ocupação de prédios, entre outros detalhes;
  • Interoperabilidade entre os sistemas das coisas conectadas à internet;
  • Intensa coleta de dados sobre os usuários, capaz de permitir o oferecimento de produtos e serviços voltados especialmente às suas necessidades;
  • Combinação da internet das coisas a outras inovações da tecnologia, o que resultará em soluções ainda mais inteligentes.

A IoT internet das coisas revolucionará o mundo

Novas tecnologias tendem a mudar a forma com a qual o mundo funciona. Foi assim com a invenção dos automóveis, dos telefones, da internet e da computação em nuvem, o que também acontecerá com a internet das coisas.
Cabe a nós aguardar pelo crescimento da IoT internet das coisas e comprovar todo o seu potencial.
A adaptação pode levar um tempo, mas os resultados serão bastante positivos em todas as esferas da sociedade, da condução de carros à gestão de telecom.

Autor:

O que procura?

NEWSLETTER