Mobilidade corporativa: dicas para fortalecer seu negócio e se manter firme no mercado

Mobilidade corporativa: dicas para fortalecer seu negócio e se manter firme no mercado

Diante do novo cenário mundial, afetado pelas consequências da pandemia, podemos ter poucas certezas do que virá.

No entanto, um fato já se consolida: a mobilidade corporativa é tendência forte, que já vem trazendo resultados positivos.

Entre eles, podemos destacar resultados das empresas que conseguiram se adaptar ao mercado dinâmico, a partir das mudanças globais recentes.

Estas, direcionaram a maior parte de suas atividades para serem feitas online, em home office, graças a tecnologia do cloud computing.

mobilidade corporativa surge como estratégia para desenvolver o gerenciamento de ferramentas tecnológicas – dispositivos móveis e suas conexões com os dados empresariais.

tecnologia é a grande aliada das empresas, que através de notebooks, smartphones e tablets, permitem o acesso remoto corporativo e garantem a continuidade das atividades, mesmo em situações inesperadas.

Por outro lado, as corporações que não aderem a mobilidade estão expostas a passarem por graves crises que podem acarretar numa desestabilização permanente do futuro desses negócios.

Porém, as corporações que transformaram suas operações em tempo recorde para atender às novas demandas do mercado – cada vez mais online, e ao trabalho compulsoriamente remoto, salvaram seus negócios.

É justamente a capacidade da empresa de se reinventar e buscar alternativas para sair de grandes impasses inesperados que vai definir se ela está pronta para continuar firme no mercado de trabalho.

Sabendo que agora mais do que nunca, é preciso aderir cada vez mais as novas tecnologias para obter vantagens na mobilidade para reduzir custos, a hora de agir é agora.

A partir de experiências relatadas por alguns gerentes que trabalham com mobilidade corporativa, separamos as principais dicas para criar uma política de mobilidade corporativa.

Ao fim desta leitura, você poderá colocar em prática todas essas dicas em sua empresa e ter embasamento para novas ações estratégicas de sucesso.

Escolher dispositivos compatíveis

Para gerenciar os colaboradores que trabalham remotamente, os gestores precisam focar nos recursos compatíveis, para que eles realizem suas atividades da melhor forma.

Inicialmente, o dispositivo deve permitir apenas com o uso da internet, o acesso a base de informações e ao banco de dados da empresa.

Para tanto, o gestor deve contratar planos de dados compatíveis com cada uma das tarefas necessárias.

E além disso, a gestão precisa considerar a obsolescência dos dispositivos, e providenciar aparelhos que atendam as necessidades do colaborador.

Contar com a funcionalidade de um inventário de TI é fundamental para realizar este tipo de monitoramento, pois permite resolução antecipada de possíveis prejuízos.

Automatizar processos

A cada atualização do sistema de um dispositivo, seu armazenamento é preenchido por informações que podem sobrecarregar a memória do aparelho.

Uma vez que com o passar do tempo, o desgaste do dispositivo provoca a necessidade de troca e a empresa se vê obrigada a custear novos aparelhos, ainda com o trabalho adicional de configurar cada um deles antes de repassar ao colaborador.

Ou seja, custos e gastos de tempo definem este tipo de situação.

Por outro lado, com a automação de processos, todos os dados desses aparelhos podem ser transferidos para outro automaticamente.

Isso permite a agilidade e redução de custos, já que o profissional não vai perder tempo na realização de configurações.

São muitos os processos que podem ser automatizados na gestão de dispositivos móveis.

Todos eles são essenciais para garantir eficiência na transferência dos dados empresariais.

Garantir a proteção de dados

A proteção dos dados é uma das questões mais importantes e desafiantes para a mobilidade corporativa.

Uma vez que a linha entre pessoal e profissional podem se misturar com o uso de tablets e smartphones.

Por isso, o controle dos dispositivos móveis deve ser administrado e monitorado constantemente através de ferramentas tecnológicas, como o MDM.

Assim, o gestor segue ciente das atividades realizadas pelos colaboradores, controlando o comportamento do usuário nestes dispositivos.

Dessa forma, a gestão pode garantir o acesso remoto dos profissionais, sem comprometer os dados corporativos.

LEIA TAMBÉM

Segurança móvel: 6 dicas para proteger seus dados contra invasões
5 dicas matadoras para proteger os dados da sua empresa das invasões cibernéticas
4 vantagens do Machine Learning para você aplicar já em sua empresa

Buscar soluções tecnológicas avançadas

A mobilidade corporativa como vimos, tem a tecnologia como base de sua estrutura.

Portanto, a gestão precisa, além de utilizar todas as soluções que ressaltamos nos pontos acima, buscar outras mais avançadas.

É o caso da Internet das Coisas (IoT), que contribui ainda mais para o fortalecimento da política de mobilidade das empresas.

Para saber mais sobre a IoT, você pode ler este artigo 4 ganhos que sua empresa vai ter com a Internet das Coisas e você ainda não sabe.

Agora que você já sabe como começar a implantar uma política de mobilidade corporativa, não perca mais tempo.

O primeiro passo é buscar o auxílio de especialistas, para saber exatamente por onde começar, a partir da realidade particular do seu negócio.

Esse auxílio você encontra na Sumus.

Os nossos consultores têm somado conquistas por transformar as empresas em grandes potências tecnológicas, proporcionando agilidade e redução de custos aos seus clientes.

Se você procura modernizar os seus negócios para implantar a mobilidade corporativa e continuar firme no mercado, entre em contato conosco!

Autor:

O que procura?

NEWSLETTER