Gestão Financeira: 07 Erros Que Você Não Pode Cometer!

Quer ter sucesso na gestão das finanças da sua empresa? Então não cometa nenhum desses erros!

A gestão financeira é um dos pilares de qualquer empresa, já que ninguém consegue ficar feliz e trabalhar bem com as contas no vermelho. Por isso, quanto mais organização, melhor.
De acordo com um estudo da Serasa, um terço das empresas brasileiras têm dificuldades financeiras. Estima-se que haja, aproximadamente, 17 milhões de empresas no Brasil, ou seja, mais de 5,5 milhões passam por esses problemas.
Se a sua empresa está nesse grupo e você deseja mudar essa realidade ou se não está, mas também não quer passar nem perto dela, alguns erros não podem ser cometidos de jeito nenhum na gestão das finanças. Veja quais são eles e evite-os a todo custo!

Erros Que Podem Acabar Com a Gestão Financeira da Sua Empresa

Caso qualquer um desses erros queira aparecer, elimine-os de uma vez por todas. Como diz o ditado, corte o mal pela raiz!
gestão financeira dicas

1 – Não Ter um Balanço Financeiro

O primeiro erro que pode acabar com a sua gestão financeira é não ter um balanço financeiro, que em outras palavras, é quase igual a não ter uma gestão das finanças.
O balanço é o demonstrativo onde constam todas as entradas e saídas do mês, não importa qual tenha sido o valor ou a finalidade. Absolutamente tudo o que a empresa recebeu e gastou deve estar ali.
Ao deixar o balanço financeiro de lado, não dará para saber quanto a empresa lucra ou, pior ainda, se ela está com prejuízos. Por mais trabalhoso que seja, o balanço precisa ser perfeito para evitar problemas financeiros.
Se a empresa teve um lucro bacana, veja o que deu certo e repita para o próximo mês. Se ela teve prejuízo ou passou perto disso, veja o que pode ser modificado para ter mais sucesso no mês seguinte.
Caso nunca tenha pensado por que você deve ter um programa de gestão financeira, esse é o motivo. Com um sistema informatizado, tudo fica mais rápido, prático e seguro, você deixa de perder tempo e a organização agradece.

2 – Deixar de Reservar um Valor Para Emergências

Ninguém sabe quando chegará uma emergência, já que se esses acontecimentos fossem conhecidos, não seriam emergenciais, mas sim planejados. Porém, isso não quer dizer que não dá para se preparar para eles.
Uma pesquisa da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), quantificada pelo Datafolha, mostrou que 52% dos brasileiros em idade economicamente ativa (a partir dos 16 anos) não têm reservas financeiras.
Isso é muito prejudicial na vida pessoal e ainda pior quanto na corporativa. É sempre preciso ter um valor disponível para casos de urgência, de modo que o orçamento não seja afetado por causa disso.
Não se esqueça de que uma boa gestão financeira é aquela que se antecipa aos imprevistos e consegue combatê-los da melhor maneira possível!

3 – Acreditar Que Não é Preciso Evoluir

Uma simples pesquisa na internet pode trazer dezenas de dicas de gestão financeira. Existe uma que não deve aparecer, mas faz toda a diferença, que é jamais achar que a empresa não precisa mais evoluir.
Sabe aquele sentimento de que já está bom do jeito que está? Pois é, ele pode crescer cada vez mais, até chegar o ponto que a empresa não conseguirá mais sair da zona de inércia.
É simples entender como isso funciona na gestão do dinheiro da empresa. Pode ser que o balanço de três meses seguidos tenham sido super positivos, mas isso não quer dizer que os próximos também serão assim, já que é impossível saber ao certo.
Além disso, enquanto a sua empresa pensa assim, a concorrente pode estar a mil nas ideias para revolucionar a gestão financeira e ter mais sucesso do que você. Por isso, evolua sempre e não deixe o sentimento de “já ganhou” tomar conta.

4 – Tentar Fazer Tudo Sozinho

Há coisas na vida que precisam ser feitas sozinhas e apenas por você, mas outras não, e a gestão financeira é uma delas. É muito complicado tomar conta de tudo isso sozinho!
Mesmo que você seja o gestor financeiro da empresa, não abrace essa responsabilidade sem ter ajuda. Conte com os seus colegas de trabalho, com sistemas informatizados e tudo o que estiver ao seu alcance.
Se a empresa não for muito grande, como os negócios familiares, reúna o restante da família e cuidem das finanças juntos. Assim, as chances de erros diminuem muito – e você não fica tão cansado, o que é ótimo.

5 – Abandonar a Criatividade

Você já ouviu falar da gestão financeira com criatividade? Se não, deveria, já que ela pode te ajudar muito a resolver grandes problemas e evitar que os pequenos apareçam.
Investir em tecnologia, não descuidar do pagamento dos tributos, fazer testes, procurar por novos métodos e ter amor pelo que faz estão entre as dicas que podem salvar o seu negócio de problemas financeiros ou mesmo da falência.
A gestão financeira diz respeito a números, ou seja, é uma ciência exata, mas nós somos humanos e temos a capacidade de pensar e raciocinar para resolver problemas. Acredite: nenhuma fórmula sequer passa perto disso!

6 – Misturar Despesas Pessoais com Corporativas

Seja uma empresa pequena ou uma multinacional, as despesas pessoais nunca – mesmo! – devem ser misturadas com as corporativas, a menos que você queira uma dor de cabeça daquelas.
Por mais que você tenha o cartão de crédito ou o talão de cheques da empresa no seu bolso, eles nunca devem ser utilizados para fins pessoais. Para isso, você tem a sua conta pessoal, seu talão de cheques e seus cartões de crédito.
Sempre pense que o dinheiro da empresa não te pertence. Já que nós não pegamos o cartão de crédito do pai ou de um amigo para gastar como se fosse nosso, é claro que isso também se aplica a uma empresa.
Quem cometer esse erro de gestão financeira terá que passar um tempão filtrando os gastos e sabendo quais são as suas despesas e quais não são no extrato da conta ou do cartão, além de perder pontos preciosos de credibilidade. Então, passe longe disso!
gestão financeira

7 – Não Saber Gerenciar os Lucros

É muito bom ter lucros no final do mês, olhar para o fechamento e ver aquele belo número verde, que indica que tudo correu bem e a empresa ganhou mais do que teve que gastar – o que, aliás, deve ser o objetivo de todos os meses.
Acontece que muitas pessoas não sabem como lidar com os lucros e usam o dinheiro para coisas sem muita importância para aquele momento ou supérfluas no geral, que se configuram como gastos desnecessários.
Se a empresa teve lucros, faz parte da gestão financeira reservar uma parte para emergências (lembra do item 2?), pensar em melhorias de infraestrutura e planejar o que pode ser feito para aumentar ainda mais os lucros.
Também é bom ressaltar que não devemos nos acomodar com os lucros, já que o mercado é muito volátil e a maré pode mudar a qualquer momento. Cuide bem dos lucros que a empresa sairá na vantagem.

Tire Nota Máxima na Gestão das Finanças da Empresa!

A vida ensina com os erros, isso é fato. Ninguém nasce e já sabe de tudo: o que importa é se esforçar para não cometer os mesmos erros e para evitar todos os outros que podem acontecer.
Ao evitar os erros que foram citados, você já estará no caminho de uma gestão impecável das finanças da empresa, que será muito elogiada pelos outros gestores e pela presidência. Quer coisa melhor que isso?
Portanto, faça tudo o que estiver ao seu alcance para que a gestão financeira tenha muito mais acertos do que erros. Assim, na hora de fazer uma auditoria de contas, os resultados serão tão positivos que os elogios virão de monte!

Autor:

O que procura?

NEWSLETTER