Atualização de smartphone: quando trocar os telefones corporativos?

Entenda quando é o momento ideal para tomar essa decisão
De acordo com a 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas empresas, feita pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), há 230 milhões de celulares ativos no país, e estima-se que boa parte seja de unidades de telefone corporativo.
É inegável que os smartphones fazem parte da nossa rotina, desde atividades simples e de lazer até para fins profissionais e acadêmicos, o que também se estendeu às empresas, que encontram nos celulares dispositivos que facilitam sua rotina.
Porém, uma grande dúvida diz respeito ao momento de trocar esses celulares, algo que nem sempre é considerado pelos gestores e diretores, mas tem sérias influências, inclusive na produtividade dos colaboradores e na segurança de dados e informações sigilosas.
Para ajudar sua empresa, nós separamos alguns números e dicas que serão de grande valia para tomar essa decisão. Confira e entenda melhor como lidar com a questão tão importante.

Qual é a importância de um telefone corporativo para as empresas?

Muito grande, a ponto de alguns colaboradores acharem simplesmente impraticável viver sem ter um celular à sua disposição, o que faz sentido em uma sociedade tão conectada.
De acordo com dados obtidos em diferentes versões da Pesquisa Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) Empresas, a porcentagem de companhias em todo o Brasil que utilizam celulares corporativos foi a seguinte:

  • 2010: 65%
  • 2011: 74%
  • 2012: 72%
  • 2013: 71%
  • 2014: 72%
  • 2015: 71%
  • 2017: 68%

Ainda que o número tenha oscilado com o passar dos anos e já sido maior do que os últimos divulgados, é notória a importância de tais dispositivos para companhias de todos os portes e segmentos.
Não é para menos, já que é possível se comunicar com a equipe, clientes, parceiros, checar os e-mails, acessar sites e sistemas internos da empresa e estar sempre com acesso à internet, em qualquer lugar que se estiver.
Veja também: Você faz bom uso do celular corporativo?

Qual é o momento perfeito para trocar os celulares corporativos?

Não existe um número que se aplique a todas as empresas, já que isso varia de acordo com uma série de fatores, mas algumas estatísticas ajudam a entender melhor a questão, como um estudo que foi feito pela consultoria Strategy Analytics nos Estados Unidos.
Ela mostrou que os norte-americanos geralmente demoram três anos ou mais para trocar de smartphone, além de ter apontado alguns dos principais motivos para que isso ocorra, como a ausência de inovação nos modelos, seja em relação à parte estética ou funcional.
Outro estudo, o QuISI 2017, feito pela Qualcomm em parceria com a IDC, chegou à conclusão de que 41,9% dos brasileiros costumam trocar de celular a cada 2 anos.
Esses são alguns indicativos importantes, mas quando se trata de um telefone corporativo, a situação muda de figura, já que as necessidades são diferentes das apresentadas pelo público.
Alguns pontos que podem ser analisados para concluir quando é o momento ideal de fazer essa substituição são os seguintes:
Celular novo sobre a mesa

Desempenho do aparelho

Quando uma pessoa vai comprar um celular, é provável que ela se informe sobre os modelos e busque saber quais apresentam um melhor desempenho, de modo que as atividades sejam realizadas com maior agilidade.
A questão é que isso nem sempre acontece quando se trata de um telefone corporativo, embora também devesse ocorrer. Às vezes, tal escolha é tão ou até mais importante do que a de dispositivos corporativos.
O motivo é que o desempenho do celular interfere diretamente na produtividade dos colaboradores, que usam o dispositivo para várias atividades profissionais, não apenas para ligações.
Inclusive, de acordo com a pesquisa Panorama Mobile Time e Opinion Box referente a abril de 2019, 13% dos brasileiros afirmaram não ter o atalho do discador na página inicial do celular, enquanto 25% não têm o aplicativo de SMS neste mesmo lugar.
Isso mostra que a finalidade dos smartphone mudou consideravelmente, o que também se aplica ao telefone corporativo, dispositivo altamente versátil.

Duração da bateria

Embora seja relativamente raro de acontecer, pode ser que a bateria do celular corporativo esteja com algum problema e não retenha mais carga como acontecia originalmente, mesmo que o celular ainda funcione bem.
A substituição da bateria pode resolver em determinados casos, mas quando isso não for suficiente, então recomenda-se adquirir um novo telefone corporativo para acabar com esse problema.
Imagine como seria prejudicial tentar falar sobre um assunto importante com um membro da equipe e não conseguir contato porque a carga da bateria se esgotou. Essa é apenas uma das situações que podem ocorrer quando o componente está com algum problema.
Comece a economizar hoje mesmo com suas contas telefônicas!

Tempo de uso do aparelho

Mesmo que não haja nenhum defeito aparente, pode ter chegado o momento de adquirir um novo telefone corporativo, como quando os celulares já são muito antigos.
Isso pode interferir no momento de instalar novos aplicativos relacionados às atividades profissionais, bem como dificultar o acesso a sites e apps devido a telas demasiadamente pequenas, por exemplo.
Logo, ainda que o dispositivo apresente boas condições de funcionamento, o uso de um novo celular aumenta as possibilidades de trabalho e pode impactar positivamente na produtividade.

Analise os dispositivos móveis de sua empresa e substitua-os quando necessário

Hoje em dia, principalmente com tanta tecnologia e modernidade, os smartphones são verdadeiras ferramentas de trabalho, por meio das quais os colaboradores desempenham boa parte de suas atividades.
Por isso, é de suma importância analisar as condições de cada celular e, quando necessário, substituí-los. Os benefícios proporcionados por isso ficarão evidentes no desempenho do colaborador e também na satisfação que ele sente pela empresa.
Para facilitar esse controle, vale a pena investir em soluções como a MDM (Mobile Device Management) ou MAM (Mobile Asset Management). Essas soluções auxiliam tanto no controle de uso dos aparelhos como no monitoramento do ciclo de vida dos dispositivos e, assim, ajudam na tomada dessa decisão.
Não hesite em substituir o telefone corporativo quando isso for necessário. Essa atividade relacionada ao setor de telecomunicações, assim como o controle de despesas e a consultoria em telecom, é um investimento que será revertido em um excelente custo-benefício.

Autor:

O que procura?

NEWSLETTER