Entenda porque é importante ter seguro para o celular corporativo da sua empresa

Serviço vale a pena pela segurança e bom custo-benefício
Antigamente, quando se pensava em seguro, era comum associar a automóveis e residências. Hoje em dia, porém, o serviço se expandiu bastante, o que tornou possível a contratação do seguro para celular.
Ainda que não seja tão conhecido quanto as modalidades citadas, é inegável que esse tipo de seguro esteja em crescimento no mercado, e cabe ressaltar que sua aplicação não se dá apenas às pessoas físicas como também a empresas.
Dessa forma, torna-se altamente vantajoso ter um seguro nos dispositivos móveis da sua empresa, seja a curto, médio ou longo prazo, o que pode até mesmo ser positivo para o sucesso dos negócios da companhia por consequência.
Vamos aprender mais sobre ele e porque é tão vantajoso investir em sua contratação, seja qual for o porte ou segmento da companhia.

Como funciona o seguro para celular?

Basicamente, nos mesmos moldes dos seguros para automóveis, embora haja algumas variações de acordo com a seguradora escolhida.
Em linhas gerais, o consumidor adquire seu aparelho e, então, procura por uma empresa que ofereça seguro para celular, cujo preço varia de acordo com o valor de mercado daquele dispositivo.
Com esse objetivo em mente, deve-se comparar as seguradoras disponíveis no mercado, já que elas podem variar em relação aos valores, cobertura, prazo de contrato e valor de franquia:

  • Valores: como ocorre com os automóveis, cada seguradora pratica preços diferentes. Portanto, cabe ao cliente comparar as opções disponíveis para ver qual é a que se mostra mais vantajosa.

 

  • Cobertura: alguns seguros cobrem quase tudo o que ocorre com o aparelho, como roubo, furto qualificado, queda acidental e derramamento de líquidos, por exemplo, enquanto outros se restringem apenas a roubo e furto qualificado. Neste ponto, vale a pena colocar na balança e ver o que vale a pena para cada necessidade.

 

  • Prazo de contrato: geralmente, os contratos de seguro para celular têm vigência de 12 ou 24 meses, prorrogáveis de acordo com as condições contratuais.

 

  • Valor de franquia: se o aparelho for roubado, subtraído mediante furto qualificado ou danificado (e isso constar em contrato), o cliente deve pagar a franquia, que é proporcional ao valor de mercado do aparelho. Ela costuma ser de 15% a 25% deste valor.

 

  • Carência: geralmente, os seguros possuem 30 dias de carência, que é um período em que ele não pode ser usado. É fundamental informar-se com a seguradora contratada sobre o assunto para não ser pego de surpresa.

Outro detalhe que precisa ser reforçado em relação ao seguro para celular é que, em relação à subtração do aparelho, eles geralmente cobrem roubo e furto qualificado, mas não furto simples. A diferença é a seguinte:

  • Roubo: ocorre quando o aparelho é subtraído mediante ameaça ou violência contra a vítima, o que a coloca na situação de precisar entregar o celular em prol da sua integridade física.

 

  • Furto qualificado: quando o celular é subtraído sem que a vítima perceba, desde que exista algum vestígio de arrombamento ou rompimento de lacre, como quando uma casa é assaltada ou um armário é arrombado, por exemplo.

 

  • Furto simples: caracteriza-se como a subtração do bem sem emprego de violência ou quando não se nota a ausência do item por parte da vítima, como em casos que o aparelho é roubado do bolso da calça ou da mochila.

Executivo usando o celular
Geralmente, o furto simples não é contemplado nos seguros para celular. Logo, mesmo com sua contratação, a cautela sempre deve estar presente.
É importante ressaltar como este mercado está em ascensão. De acordo com a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), havia 2,5 milhões de aparelhos segurados por volta do meio de 2018, número que era estimado a atingir 4,5 milhões até o final daquele ano.
Além disso, o valor total pago em mensalidades também aumentou consideravelmente por parte dos usuários: de R$ 530 milhões em 2016 para R$ 900 milhões em 2017, o que representa um aumento de quase 70%.
Veja também: iOS ou Android: qual o mais seguro?

Por que os celulares corporativos devem ser colocados no seguro?

Porque é uma precaução importante, que não apenas ajuda a evitar prejuízos financeiros como também funcionais e produtivos, que por consequência também se transformam em problemas para as finanças.
O investimento feito nas mensalidades do seguro para celular pode ser considerado como um impeditivo para as empresas, mas a situação é muito mais vantajosa do que pode parecer por esse ponto de vista.
Vamos supor que a sua empresa tenha optado pelo Moto G7 Plus 64GB como celular corporativo e que tenha adquirido 10 aparelhos para a equipe. Seu valor de mercado está em torno de R$ 1.200, embora possa ser encontrado a preços menores de acordo com a loja escolhida.
A mensalidade também varia de acordo com cada seguradora, mas é possível encontrar opções de seguro para celular completo, com cobertura a roubo, furto qualificado, quebra acidental e queda de líquidos por menos de R$ 50.
Ao arredondar o valor, temos que a despesa mensal com o seguro dos aparelhos usados pela equipe seria em torno de R$ 500, o que vale muito mais a pena do que ter que desembolsar outros R$ 1.200 para adquirir um novo caso algum imprevisto aconteça, mesmo ao considerar a franquia, que seria de aproximadamente R$ 300.
O seguro é um cuidado preventivo, que não apenas mantém os aparelhos protegidos contra roubos e furtos, mas também em relação a quebras acidentais e derramamento de líquidos, algo a que todos estão sujeitos nos dias de hoje.
Confira: Roubo de celular corporativo, como proceder

Opte pelo seguro para celular e mantenha sua empresa protegida

A prevenção é um dos melhores remédios, e o mesmo se aplica aos seguros para celular, que já foram muito mais caros e restritos à maior parcela do público no passado, mas a situação é diferente hoje, com várias empresas, preços acessíveis e um aumento notório no número de contratações.
Seja qual for o número de aparelhos utilizados pela empresa, vale a pena comparar as opções de seguro disponíveis no mercado e escolher a melhor, de modo a evitar arrependimentos e maiores prejuízos no futuro.
Assim como a consultoria em telecom já foi um tema não tão adotado pelas empresas mas que cresceu com o passar do tempo, o mesmo se aplica ao seguro para celular, com uma tendência de que seu uso aumente cada vez mais.
Confira agora as 12 dicas matadoras para reduzir as contas da sua empresa!

Autor:

O que procura?

NEWSLETTER