Cloud computing e novas tecnologias: Conheça a 4ª Revolução Industrial!

Entenda do que se trata esse conceito e quais foram os marcos das três revoluções anteriores

Do que você se lembra quando ouve falar de Revolução Industrial? Provavelmente, do movimento entre 1760 e 1840 que se iniciou na Inglaterra, mas saiba que o
O aspecto cronológico pode parecer um pouco confuso, ainda mais pelo fato de que é raro ter ouvido falar sobre a 2ª e a 3ª Revoluções, mas elas aconteceram e ficaram marcadas pela introdução de novas tecnologias e melhorias das que já existiam.
Vamos conhecer melhor todas as 4 revoluções industriais, o impacto que elas tiveram no mundo e o que está por trás do conceito de Indústria 4.0.

Quais são as 4 revoluções industriais?

Para entender do que se trata o assunto, é importante passar por todas essas revoluções e a época que elas aconteceram, o que deixará a evolução ainda mais em evidência.

1ª Revolução Industrial (1760 – 1820 ~ 1840)

Essa é a Revolução Industrial mais conhecida, que é estudada nas escolas e universidades como um marco muito importante para o ramo industrial.
Antigamente, os trabalhos em uma indústria eram realizados, em sua maioria, por processos manuais. Era necessário contar com uma equipe de profissionais capacitados, como os artesãos, para realizar tais atividades.
Então, passaram a ser utilizadas máquinas alimentadas por motores a vapor ou rodas de água, similares a moinhos. Estas, por sua vez, não necessitavam de mão de obra tão especializada, já que as máquinas “substituíam” boa parte desse trabalho.
O maior impacto foi sentido na indústria têxtil, mas todos os outros setores também notaram os seus efeitos.
indústrias cloud computing

2² Revolução Industrial (1870 – 1914)

Ocorrida do final do século XIX até o início do século XX e da 1ª Guerra Mundial, essa revolução ficou marcada pela melhoria de tecnologias já existentes ao invés do surgimento de novas.
O exemplo mais significativo foi a introdução da energia elétrica, que substituiu o vapor e as rodas de água de outrora como a principal fonte de energia.
Além disso, o início das linhas de produção e de partes intercambiáveis se deu aqui, o que foi o berço da produção em massa.

3ª Revolução Industrial (1960 – Atualmente)

Na 3ª Revolução Industrial, o marco ficou mais uma vez com o aparecimento de novas tecnologias, que no caso foram a computação e a automação, avanços que mudaram completamente os processos produtivos da época.
Com isso, se tornou possível alcançar precisão milimétrica, graças aos robôs industriais, e exatidão, trazida pelos CNCs (Computer Numerical Controls, ou Controles Numéricos Computadorizados).
O início dessa revolução se deu pelos anos 1960, mas é difícil definir um término para ela, já que muitas indústrias da atualidade ainda não adotaram essas tecnologias para seus processos produtivos.
Conheça também – Bitcoin e Blockchain: Entenda as Tendências do Mercado Financeiro.

4ª Revolução Industrial (Atualmente)

Por fim, chegamos à 4ª Revolução Industrial, que trouxe o aprimoramento de tecnologias existentes na revolução que a precedeu, principalmente pela conectividade e pela maior inteligência das indústrias.
Isso faz com que essa Revolução Industrial também possa ser chamada de Evolução Industrial, já que não necessariamente trouxe algo novo, mas sim o desenvolvimento do que já era conhecido.
O termo “Indústria 4.0” foi utilizado primeiramente em uma iniciativa estratégica do governo alemão para estabelecer o país como referência em soluções de manufatura.
Posteriormente, na Hannover Messe, a maior feira de tecnologia industrial do mundo, o termo voltou a ser usado no ano de 2011. Desde então, muitas inovações industriais são consideradas como parte dessa revolução. 
O cloud computing ocupa um papel muito importante na Indústria 4.0, já que todo o chão de fábrica passa a ser conectado. Assim, o próprio sistema pode tomar decisões que, antes, deveriam partir de um ser humano.
Internet das Coisas e 5G são tecnologias que têm tudo a ver com a revolução, já que ambas caminham para um futuro onde interoperabilidade, transparência da informação, decisões descentralizadas e assistência técnica por máquinas farão parte da rotina.
Os equipamentos contarão com sensores que os conectarão a toda a indústria e criarão um ambiente virtual exatamente igual ao que se vê fisicamente. Então, seu controle poderá ser quase que completamente automatizado.
Com o auxílio do cloud computing, será possível que os humanos intervenham quando necessário na tomada de decisões, mas sem que precise estar fisicamente no local, já que as ordens poderão vir através da internet.
Em resumo, a 4ª revolução industrial faz com que a necessidade da intervenção do ser humano seja muito menor e ocorra apenas quando estritamente necessário, o que ditará o funcionamento das indústrias do futuro.
cloud computing

Quando a Indústria 4.0, com o cloud computing e suas tecnologias, terá dominado o mercado?

É difícil cravar com exatidão, já que isso depende da adoção dessas tecnologias por parte das indústrias, o que pode levar um certo tempo, principalmente nas de pequeno e médio porte.
A internet das coisas pode ajudar o seu pequeno empreendimento nos dias de hoje, embora ela também esteja em desenvolvimento. É de se imaginar que o cloud computing e a inteligência das máquinas faça ainda mais parte do nosso cotidiano nos próximos anos.
Ainda assim, não é possível saber exatamente quando isso acontecerá. A 1ª Revolução Industrial levou 80 anos, enquanto a 2ª e a 3ª precisaram de mais de 40 anos para se estabelecer.
Com a velocidade que a tecnologia tem hoje, é de se esperar que o estabelecimento da Indústria 4.0 leve menos tempo, mas, por outro lado, a limitação de recursos das empresas de menor porte pode aumentar o tempo até sua adoção completa.
Seja como for, a Internet das Coisas está entre as tendências de tecnologia para sua empresa e também para as indústrias de todo o mundo, que serão ainda mais inteligentes do que vemos atualmente.
O investimento em segurança IoT alcançou cifras de US$ 1,2 bilhão em 2017, deve chegar a US$ 1,5 bilhão em 2018 e superar os US$ 3 bilhões em 2021, o que mostra que o mercado já está aquecido e deve se manter assim, cada vez com mais intensidade.
A Indústria 4.0, com cloud computing, IoT e inteligência artificial, já existe atualmente e seus impactos são muito positivos. Com o passar do tempo e o crescimento de sua adoção, esses resultados tendem a ser ainda melhores.
E você, está preparado para essa revolução? Deixe nos comentários a sua opinião e aproveite para conhecer melhor a Sumus e as suas soluções de redução de gastos nas empresas como auditoria de contas e gestão de telecom!

Autor:

O que procura?

NEWSLETTER